Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
Sobre o site
O que você mais gosta do nosso site?
As fotos das galerias
As poesias premiadas
O concurso de poesias
Contribuições literárias
Tudo
Visito sempre
Visito pouco mas voltarei
Não voltarei mais
Ver Resultados

Rating: 2.5/5 (557 votos)




ONLINE
1




Partilhe este Site...





Saudações!

 

Esse site foi criado para que as pessoas possam conhecer o evento literário POESIAS SEM FRONTEIRAS e o Prêmio Literário Marcelo de Oliveira Souza.

Esse nome foi escolhido pelo fato de que a poesia é a mais nobre arte de se expressar e de unir povos, a poesia não tem fronteiras, não tem idade, tampouco credo e preferências.

Nossos eventos sempre esmeram-se em unir povos e culturas, por isso sempre acolhemos  não só o poeta, mas os estrangeiros dos quatro cantos  do mundo e também os jovens.

Inserindo-os  no maravilhoso mundo literário, rompendo fronteiras e estreitando laços.

As inscrições sempre são democráticas, onde participam desde o estudante, o lavrador, até o médico, engenheiro, professor e outras tantas profissões, cumprindo o nosso excelso objetivo de unir, aglutinando diferentes culturas e pensamentos, enriquecendo ainda mais a literatura universal.

* Aceitamos doações de qualquer valor que poderá ser feita via correios ou por conta corrente, o número se encontra junto ao título do blog, é só entrar em contato para combinarmos.

Ajude o POESIAS SEM FRONTEIRAS, divulgando  esse site, a cultura agradece.

 

 

 Embaixador da Poesia, nomeado pela Academia Virtual de Letras Artes e Cultura, MG; Ganhador do Prêmio  Personalidade Notável  2014 em Itabira MG ; Membro   da IWA  International Weitters Artistis – EUA ; da Sociedade  Ibero-americana de Escritores, Espanha; da Academia de Letras de Teófilo Otoni MG; da Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências RJ; da confraria de Artistas e Poetas pela Paz – CAPPAZ; da Associação Poetas Del Mundo; do Clube dos Escritores Piracicaba SP;  participa de vários concursos de poesias, contos,  publicações em jornais e revistas estaduais, nacionais e internacionais  sempre conseguindo ser evidenciado pelos seus trabalhos louváveis; colunista do Jornal da Cidade, Debates Culturais, Usina de Letras, entre outros. Organizador do Concurso Literário Anual POESIAS SEM FRONTEIRAS  e Prêmio Literário Escritor Marcelo de Oliveira Souza,IWA.

e-mail:   marceloosouzasom@hotmail.com

facebook: psfronteiras

Doações em qualquer valor:

Conta Corrente Bradesco

Agência 3679

Conta 5920-0

Em nome do autor do projeto

Marcelo de Oliveira Souza

 



POESIAS DOS VENCEDORES 2016

POESIAS DOS VENCEDORES 2016

 

 

 

                 Vencedores do XII Concurso Literário Poesias sem Fronteiras

 

 

                     Menção Honrosa Internacional

 

 

          Título: - Amor: Um sentimento que desconhece fronteiras -

 

                       Tenho observado em minhas andanças

                        por esse mundo eclético

                        vasto, fértil e verdadeiramente belo

                        que, o Amor é um sentimento

                        que desconhece fronteiras

                        pois, constantemente vejo

                        seres de países totalmente diferentes

                        se apaixonarem e livremente se amarem

                        apesar do idioma que sabem

                        ser completamente diferente

                        contanto, realmente distinto.

                        Portanto está comprovado

                       que o Amor de fato

                       é um sentimento que desconhece fronteiras

                       e, quando, cautelosamente analisado

                       então, chegamos a conclusão

                       ser realmente uma correta decisão.

                       Porque sabem que as fronteiras só dividem,

                       enquanto o Amor obviamente é livre,

                       além de trazer paz, felicidade e união.

 

 

 

 

 

                  Menção Honrosa Internacional:

                                 Silvio Parise –  EUA

 

 

*********************************************************

 

 

                          Terceiro Lugar

 

 

                                  Título: Cabelos Molhados 

                                   Chuva que chove chorando
                                   Impaciente no céu acalmado
                                   E sua presa sensível tramando
                                   Correndo ao léu, amado

                                   Esta chuva que lava lavado
                                   Escorrendo no ar cor-de-rosa
                                   Esnobando a tristeza, um recado
                                   Percutindo o sentido da prosa

                                   Quanto à chuva, se diz coração
                                   Se na alma gelada do fogo
                                   Reluzindo tão só, solidão
                                   Como o cheiro do mar, o engodo

                                   Cai a chuva entre tantos desejos
                                   E o alvoroço descarta o silêncio
                                  Molhando os lábios de estúpidos beijos
                                  Revigorando o sabor quão intenso

                                  Para a chuva ao tempo da vida
                                 A secar os cabelos molhados
                                 Com o vento jamais suicida
                                 Para ver os seus restos deixados

                                 E são nestas chuvas que olho as correntes
                                 Em que as águas que rolam, transbordam
                                Aos suspiros, tais quais envolventes
                                Harmonia de cores que não se concordam.





 

 

 

                                Terceiro Lugar:

                    Glaucia Regiane Nunes Polini – São Francisco do Sul – SC



****************************************************

 

                                            Segundo Lugar:

 

                        Título: CORPO INQUIETO 

                                                 CORPO INQUIETO
                                                 QUE NÃO SE CALA
                                                 SE AGONIA
                                                 FERVE EM SI MESMO

                                                 CALA A BOCA DO CORPO
                                                 ABRE A BOCA DO CORPO
                                                 PORQUE DIZ TANTO
                                                 E NÃO SE OUVE

                                                 CALA AS BOCAS 
                                                 DA INSATISFAÇÃO
                                                 DOS MEDOS ABSOLUTOS
                                                 DA EXIBIÇÃO DA SUA CARÊNCIA

                                                 CORPO QUE GRITA NO SILENCIO
                                                 NINGUÉM ESCUTA A SUA PROCURA
                                                 CORPO INSANO 
                                                 CORPO ESQUISITO
                                                 DE CRENÇAS ENLOUQUECIDAS

                                                 AH! QUE CORPO DESCONHECIDO
                                                 QUE PROCURA DESENCONTRADA
                                                 DO TUDO PARA O NADA 
                                                 CURVO OU RETO
                                                 DO BONITO AO FEIO

                                                 CORPO SEM OSSO
                                                 CORPO COM MUITO OSSO
                                                 CARNE,GORDURA OU MÚSCULO?
                                                 VAZIO OU CHEIO
                                                 CORPO QUE NÃO TEM GENTE 
                                                 GENTE SEM CORPO
                                                 CORPO DE MUITA GENTE

 

 

                                   Segundo Lugar:

                                      Gedalva Neres da Paz  - Salvador – BA

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                              PRIMEIRO LUGAR:

 

 

                                  Título: BRAILE 

                                                  Chega de manhas,
                                                  Artimanhas, aspas.
                                                  Dispenso ladainhas, 
                                                  Lero-lero e interrogação.
                                                  Quero o contato, o tato,
                                                  O flashback e o olfato
                                                  Da reticência em vão.

                                                  Não venha com histórias,
                                                  Memórias, nem exatidão.
                                                  Busco o indiscreto, 
                                                  Infinitivo concreto,
                                                  Que transforma 
                                                  Ardentes ais
                                                  Em interjeição!

                                                  Quero o sujeito composto,
                                                  Predicado do corpo,
                                                  Objeto em transição.
                                                   Locuções livres,
                                                   De palavras mudas,
                                                   Afogadas em salivas,
                                                   De verbo de ligação.

                                                   Busco o braile de suas mãos,
                                                   Cicatriz adverbial,
                                                   Sem esquema, 
                                                   Algo que eu trema,
                                                   Durma apaixonado,
                                                   Acorde frase completa
                                                   E com ponto final.

                                    Primeiro Lugar:

                                          Valéria Pisauro – Campinas - SP